Será que estamos realmente bem informados quanto aos riscos de saúde da utilização do Micro-ondas?

Posted: 28 de Junho de 2011 in Saúde

– Porquê Evitar o Microondas? O uso do forno de microondas para cozimento, aquecimento e descongelamento rápido faz parte do quotidiano de todos nós. De fato, o aparelho de microondas é o máximo da conveniência alimentar na nossa cozinha. Mas será que estamos bem informados em relação aos seus possíveis riscos de saúde? Ninguém fala sobre malefícios do microondas, mas nós sabemos que com a radiação não se brinca. É praticamente impossível encontrar artigos científicos afirmando os problemas no seu uso prolongado. Mas nenhum nutricionista que se preze defende uma dieta à base de “comida de microondas”. As nossas avós, acostumadas ao tradicional forno e fogão, torceram o nariz a esta nova invenção. E as mães, mais esclarecidas, tentam evitar a preparação dos alimentos para bebés e crianças no microondas. Parece-me que, no fundo, nós sabemos que este aparelho não é tão inocente assim. Só não nos explicaram porquê. Depois de receber e-mails a questionar a segurança do descongelamento de legumes, carnes e “meaty bonés” (carnes com ossos) no microondas, efectuei uma pesquisa e encontrei alguns dados no mínimo interessantes. São informações, para variar, polémicas, e pouco divulgadas. Curiosamente, quase não encontrei menções negativas ao microondas, pesquisando na Internet, em português. Entretanto, bastou digitar a mesma expressão de pesquisa em inglês para me deparar com inúmeros websites abordando este assunto. Seleccionei, traduzi e adaptei trechos dos textos mais completos que encontrei sobre possíveis efeitos maléficos do microondas, extraídos do excelente site Dr. Mercola, do médico norte-americano Joseph Mercola. Vale a pena registar-se neste website, fonte de uma infinidade de dicas imperdíveis nas áreas de saúde, nutrição e bem-estar – para humanos. Entenda que, sempre que possível, deverá evitar descongelar, aquecer ou cozinhar as refeições dos seus cães e gatos – e até as suas! – no forno de microondas. Como o microondas funciona? Essas tais microondas são uma forma de energia electromagnética, como as ondas de luz ou de rádio, e ocupam uma parte do espectro electromagnético de potência, ou energia. Na nossa era tecnológica, as microondas são utilizadas nos sinais telefónicos interurbanos, programas televisivos, informação de computadores ao redor da Terra e até em satélites no Espaço. Mas as microondas que conhecemos melhor são as que usamos para cozinhar ou aquecer os nossos alimentos. Cada aparelho contém um magnetrão, um tubo onde os electrões são afectados por campos magnéticos e eléctricos de maneira a produzir radiação em micro comprimento de ondas a cerca de 2450 Mega Hertz (MHz) ou 2.45 Giga Hertz (GHz). É essa radiação que interage com as moléculas do alimento. Ondas energéticas invertem a polaridade, de positivo para negativo, a cada ciclo da onda. À medida que as microondas geradas pelo magnetrão bombardeiam o alimento, elas causam a rotação das moléculas polares na mesma frequência até bilhões de vezes por segundo. Toda esta agitação cria uma fricção molecular, que aquece a comida. Esta maneira de aquecer os alimentos provoca danos substanciais às moléculas à volta, podendo destruí-las ou deformá-las. O problema apontado pelos detractores do microondas é justamente esse. Eles alegam que nenhum alimento natural foi criado para suportar este tipo de exposição sem destruição de propriedades. De facto, o cozimento com calor (vapor, brasa, ou qualquer outro), embora mais lento, resulta em maior preservação de nutrientes. Temperatura estranha A temperatura do alimento pode tornar-se extremamente quente, ao ponto de provocar queimaduras e até explodir (dentro do aparelho) por acúmulo de vapor. Além disso, o alimento é aquecido de forma pontual. Formam-se bolhões de calor escaldante em alguns pontos, enquanto outros permanecem frios. Poderá queimar a boca e o esófago ao ingerir o alimento que você, ao tocar uma parte, pensou estar morno. Destruição de nutrientes * Estudos mostram que o leite aquecido no microondas perde vitaminas. Se for leite materno, parte das células de defesa da mãe são destruídas. * Nutrientes vegetais que combatem o cancro são destruídos pelo microondas. * A estrutura química dos alimentos é alterada, com consequências desconhecidas (não é surpreendente que pouquíssimos estudos tenham sido realizados sobre microondas…). * Segundo um artigo publicado na edição de Novembro de 2003 do The Journal of the Science of Food and Agriculture (O Diário da Ciência do Alimento e da Agricultura), o brócolos aquecido no microondas perde até 97% dos seus benéficos antioxidantes. O mesmo brócolos cozido no vapor perderia apenas 11% ou menos dessas propriedades. * Um estudo comparativo entre alimentos crus e preparados convencionalmente, e alimentos preparados no forno de microondas, publicado por Raum & Zelt em 1992, afirmou que aminoácidos naturais sofrem alterações isoméricas (no formato) e podem transformar-se em formas tóxicas. * Um extenso estudo publicado por alemães, suíços e russos determinou que: – Usar o microondas como forma de matar microrganismos em carnes ocasiona a formação de d-Nitrosodienthanolaminas, um conhecido carcinogénico (“cancerígeno”). – Descongelar frutas promoveu a conversão do glusídeo e galactosídeo das frutas em substâncias carcinogénicas. – Submeter leite e cereais converteu parte dos seus aminoácidos em carcinogénicos. – – Radicais livres carcinogénicos foram formados em legumes de raízes no microondas. Exposição curtíssima de vegetais crus, cozidos ou congelados ao microondas converteu seus alcalóides vegetais em carcinogénicos. – Os pesquisadores russos também reportaram uma aceleração na degradação estrutural, levando a uma diminuição de 60 a 90% dos valores nutricionais nos alimentos testados. – O complexo vitamina B, a vitamina C, a vitamina E, os minerais essenciais e os lipotrópicos (substâncias que auxiliam no metabolismo das gorduras) tiveram todos a sua biodisponibilidade (habilidade em serem aproveitados pelo corpo) drasticamente reduzida. – As núcleo-proteínas (proteínas dos núcleos das células) das carnes foi degradada. – Nos alimentos vegetais ocorreram danos aos alcalóides, glucosídeos, galactosídeos e nitrolosídeos. Formação de compostos carcinogénicos Ainda segundo a pesquisa conduzida por cientistas alemães, suíços e russos: – As alterações químicas sofridas pelos alimentos provocam disfunções no sistema linfático, interferindo na habilidade imunológica do organismo de lutar contra certos tipos de neoplasias (tumores). – A ingestão de comida preparada no microondas aumentou a percentagem de células cancerígenas (citomas) no soro sanguíneo. – Radicais livres (moléculas carcinogénicas altamente reactivas e incompletas) foram formados dentro de alguns minerais, em particular, nos legumes de raízes. – Numa (estatisticamente) elevada percentagem de pessoas, alimentos preparados no microondas causaram tumores estomacais e intestinais, assim como uma degeneração generalizada dos tecidos periféricos, com redução gradual nas funções de digestão e excreção. – Efeitos biológicos da exposição radioactiva Carcinogénicos foram encontrados em virtualmente todos os alimentos preparados no microondas. Não só comer alimentos preparados no microondas faz mal. A sua permanência próxima do aparelho em funcionamento pode causar efeitos prejudiciais ao organismo. Leia o que os soviéticos descobriram, na década de 70 em estudos sobre o microondas: – A exposição à radiação do microondas e o consumo frequente de comidas preparadas no aparelho provou causar danos cerebrais permanentes ao interferir com os impulsos eléctricos do cérebro (despolarizando ou desmagnetizando o tecido cerebral) – Os efeitos da radiação (e da ingestão de “comida de microondas”) são residuais, ou seja, permanecem no corpo a longo prazo. – Dentro dos efeitos da exposição à radiação (também vale a ingestão contínua de alimentos) de microondas, estão: perda de memória, dificuldade de concentração, instabilidade emocional e decréscimo na inteligência. Outros efeitos nocivos – Em 1991, nos Estados Unidos, uma mulher submetida a uma cirurgia de quadris recebeu uma transfusão de sangue e de seguida morreu. Porquê? A enfermeira aqueceu a bolsa de sangue no microondas. A composição do sangue foi drasticamente alterada. Este episódio abriu um processo e levantou a suspeita de que o aparelho de microondas fazia mais do que simplesmente aquecer alimentos. – As moléculas dos alimentos não foram feitas para vibrar nos níveis impostos pelo cozimento com microondas. Isto tende a danificar os nutrientes mais delicados e eles perdem a capacidade de o nutrir da forma esperada. – Toxinas carcinogénicas (cancerígenas) podem passar das bandejas plásticas ou de papel, ou das películas plásticas dos alimentos feitos para serem preparados no microondas. E podem misturar-se na sua comida. – A produção de harmónios femininos e masculinos pode ser alterada ou interrompida pela ingestão contínua de alimentos preparados no microondas – O cozimento no microondas forma novos compostos (compostos radiolíticos), desconhecidos do homem e da natureza. Não se sabe ao certo o que estes compostos fazem no organismo. Provavelmente será algo difícil de determinar, uma vez que há outros compostos desconhecidos que são introduzidos no organismo diariamente advindos de uma variedade de fontes como novos produtos alimentícios e comidas geneticamente modificadas. Os estudos do Dr. Hans Hertel De acordo com as pesquisas do Dr. Hans Hertel, um cientista de alimentos suíço, o cozimento com microondas não só altera significativamente os nutrientes dos alimentos, como provoca alterações no sangue das pessoas, assim que elas consomem alimentos cozidos no microondas. Colhendo e analisando o sangue de participantes no seu estudo, ele descobriu: – Níveis de colesterol diminuídos, incluindo o bom colesterol (HDL) – Leucocitose (aumento no número das células de defesa), sugestivo de intoxicação – Redução no número de hemácias (glóbulos vermelhos) – Produção de compostos radiolíticos (compostos ausentes na natureza) – Níveis mais baixos de hemoglobina, o que poderia indicar uma tendência à anemia Dr. Hertel e a sua equipa publicaram estes resultados em 1992. Mas uma organização suíça, a Swiss Association of Dealers for Electro-apparatuses for Households and Industry (A Associação Suíça de Comerciantes de Electrodomésticos para Casas e Indústrias), emitiu uma proibição de publicação, impedindo o Dr. Hertel de declarar que os microondas faziam mal à saúde. A proibição de publicação só foi removida em 1998, depois que os tribunais suíços determinaram que esta medida violava o direito à liberdade de expressão. A Suíça acabou por ser obrigada a pagar uma indemnização ao Dr. Hertel. Conclusão e alternativas seguras para descongelamento Os resultados das pesquisas citadas afirmam que mesmo exposições breves dos alimentos à radiação do aparelho de microondas – ou seja, um inocente descongelamento – podem resultar na perda de nutrientes e danos à saúde. Então, quais seriam as soluções para um descongelamento seguro das porções da alimentação natural? • Frigorífico Basta retirar o produto (a refeição da manhã) ou a tupperware com a refeição da noite do congelador e deixá-lo no frigorífico (onde é menos gelado) por um mínimo de 24 horas. Não se esqueça de colocar o saquinho ou a tupperware dentro de recipientes maiores, para que o caldo da carne crua não sujar o frigorífico. • Cuba com água Esqueceu-se de retirar os alimentos com antecedência? Não faz mal! Basta encher com água (temperatura ambiente ou morna; nunca quente!) um recipiente, colocar o alimento a ser descongelado dentro de um saco de plástico comum (com um nó nas alças, para não entrar líquido), posicioná-lo no saco, dentro da água, e trocar a água a cada meia hora (ou quando notar que ela fique fria). Após isso, o alimento descongela e fica pronto a ser utilizado. • Posso deixar a descongelar sobre a pia? Não é aconselhável descongelar os alimentos sobre a pia, da noite para o dia. Isso propicia a proliferação bacteriana, atrai moscas e, se o dia estiver muito quente, pode estragar o alimento. O que faço com o meu microondas? – Fácil, use-o o mínimo que puder. Pense assim: estudei tanto a alimentação natural, compro os melhores ingredientes e gasto o meu tempo a preparar tudo. Não vou pôr este investimento todo a perder em nome da conveniência, vou? – Não deixe que crianças, nem mesmo animais de estimação permaneçam próximos ao aparelho ligado. – Procure imediatamente a assistência técnica se a porta do seu aparelho de microondas estiver com imperfeições ou danos que a impeçam de selar completamente o aparelho durante o funcionamento. O vazamento radioactivo pode ser extremamente prejudicial a todos os ocupantes da residência. – Aproveite a eficiente capacidade destrutiva do microondas para o bem: esterilize utensílios de cozinha nele. Deixe lá dentro tábuas de cortar carne, panos e até as tigelas dos seus animais de estimação (desde que sejam de vidro ou cerâmica) por uns dois minutos. 99,9% das bactérias e outros microrganismo sairão de lá mortos. Para quem quiser saber mais: – Sobre o Dr. Hans Hertel e os seus estudos, clique aqui (artigo em inglês) – A associação entre a epidemia mundial de obesidade e o uso do microondas, clique aqui (artigo em inglês) – O uso do microondas e a perda dos nutrientes, clique aqui (artigo em inglês; website excelente, mas exige registo) – Os estudos dos russos mais detalhados, e os carcinogénicos presentes nas embalagens dos alimentos feitos para microondas, clique aqui (artigo em inglês) Publicado em 9 de novembro de 2008 por Sylvia Angélico Fonte: http://www.cachorroverde.com.br/?cat=178 Outro dos riscos do Microondas: O microondas como o nome já diz, aquece os alimentos por microondas, elas vão direto nas partículas de água presente nos alimentos, e fazem com que elas se agitem aquecendo-as pro atrito, por isso quanto mais água tiver o alimento mais rápido ele ficara quente. Esse sistema de aquecimento explica por que quando tiramos o alimento do microondas eles esfriam rapidamente, e também explica por que quando botamos algum metal ele explodirá, a energia presente no metal será tão grande que vai ter que sair, daí explode. Enfim o que quero dizer é que os microondas são vedados de fabrica, porem muitos deles perdem essa vedação com o tempo, assim o seu pode estar vazando microondas para todo lado. Para saber se seu microondas estiva vazando coloque um celular dentro dele e feche-o, depois ligue para esse celular, se o celular tocar ele esta vazando. Se seu microondas estiver vazando, é aconselhado procurar concerto, ou mais recomendado é a troca do aparelho. O vazamento pode acarretar mutação e desenvolvimento de células cancerígenas nos seres humanos, então por mais que seu microondas não estiver vazando, não fique com a cara em cima dele.

Outro artigo muito completo:
Os perigos ocultos da Microwave Cooking
(Por Anthony Wayne e Lawrence Newell)

É possível que milhões de pessoas hoje sejam ignorantes sacrificando sua saúde em troca da conveniência dos fornos de microondas? Por que na União Soviética, a proibição do uso de fornos de microondas é um fato desde 1976? Quem inventou os fornos de microondas, e porquê? As respostas a estas perguntas podem chocá-lo ao ponto de jogar seu forno no lixo.

Mais de 90% dos lares americanos tem fornos de microondas utilizados para preparação das refeições. Porque fornos de microondas são tão conveniente e eficiente em energia, em comparação aos fornos convencionais, muito poucas casas ou restaurantes estão sem eles. Em geral, as pessoas acreditam que tudo o que um forno de microondas faz com os alimentos cozidos não tem qualquer efeito negativo sobre o alimento ou eles.

Claro que, se os fornos de microondas fossem realmente nocivos, nosso governo jamais permitiria que eles estivessem no mercado, mas oque governos sabem sobre saúde… Independentemente do que tenha sido “oficialmente” creditado aos fornos de microondas, muitas pessoas pararam de utilizar este aparelho com base nas investigações e fatos descritos neste artigo !

O objetivo deste relatório é mostrar provas – provas – que o cozimento de microondas não é natural nem saudável, e é muito mais perigoso para o corpo humano do que qualquer um poderia imaginar.

Diariamente pessoas continuam a fazer ou esquentar sua comida no microondas – em feliz ignorância – sem conhecer os efeitos e o perigo de o fazer.

Como funcionam os fornos de microondas?

As microondas são uma forma de energia eletromagnética, como ondas de luz ou ondas de rádio, e ocupam uma parte do espectro eletromagnético de energia.
Na nossa era moderna, tecnológica, as microondas são usadas para retransmitir sinais de telefone de longa distância, programas de televisão, e informações do computador através da terra ou a um satélite no espaço. Mas o microondas é mais familiar para nós como uma fonte de energia para cozinhar alimentos.

Cada forno de microondas contém um magnetron, um tubo no qual os elétrons são afetados por campos magnéticos e elétricos, de modo a produzir uma radiação de comprimento de onda de cerca 2450 Mega Hertz (MHz) ou 2,45 Giga Hertz (GHz). Esta radiação de microondas interage com as moléculas dos alimentos.
Cada onda de energia muda de polaridade de positivo para negativo em cada ciclo (da onda). Em microondas, estas mudanças de polaridade acontecem milhões de vezes a cada segundo. Moléculas do alimento – especialmente as moléculas da água – têm um efeito positivo e negativo da mesma maneira que um ímã tem uma polaridade norte e um sul.

Em modelos comerciais, o forno tem uma entrada de energia de cerca de 1000 watts de corrente alternada. Enquanto estas microondas geradas pelo magnetron bombardeiam o alimento, podem (e fazem)forçar as moléculas polares para rodar na mesma freqüência milhões de vezes por segundo.

Toda essa agitação gera atrito molecular “, que em consequencia aquece o alimento. Este tipo incomum de aquecimento também causa danos significativos para as moléculas vizinhas, frequentemente rasgando-as, separando-as ou deformando-as.

Em comparação, as microondas do sol são baseadas nos princípios pulsantes de corrente contínua (DC) que não geram calor friccional, fornos de microondas uso da corrente alternada (AC) gerando calor friccional.

Um forno microondas produz uma onda de energia enriquecida, com todo o poder, entrar em apenas uma estreita freqüência do espectro de energia. A energia do sol atua em um espectro de frequências de largura variadas.

Muitos termos são usados para descrever ondas electromagnéticas, tais como o comprimento de onda, amplitude, ciclo e frequência:

•Comprimento de onda determina o tipo de radiação, ou seja, rádio, raios X, ultravioleta, visível, infravermelho, etc

•Amplitude determina a extensão do movimento medido do ponto de partida.

•Ciclo determina a unidade de frequência, tais como ciclos por segundo, Hertz, Hz, ou ciclos / segundo.

•Frequência determina o número de ocorrências dentro de um determinado período (geralmente 1 segundo); O número de ocorrências de um processo de retorno por unidade de tempo, ou seja, o número de repetições de ciclos por segundo.

•Radiação = propagação de energia com ondas eletromagnéticas

Estudos do governo no FDA ou oficialmente lançados, provaram ser as microondas de uso corrente,nocivas, mas todos nós sabemos que a validade dos estudos pode ser – e são às vezes deliberadamente – limitante. Muitos destes estudos são mais tarde provaram ser impreciso. Como consumidores, estamos suposto ter um certo grau de senso comum para uso em juízo.

Desde que está atualmente publicado que as microondas – supostamente – não vazam para o meio ambiente, quando adequadamente usado o forno, a decisão cabe a cada consumidor a respeito de se escolher ou não comer o alimento aquecido por um forno de microondas ou mesmo comprar um em primeiro lugar.

Como a maioria dos jovens adultos do momento,optamos por ignorar a sabedoria intuitiva de nossas mães e avós quanto ao uso deste tipo de forno.

Marque um ponto para a percepção da mãe,(e avó) porque mesmo que ela não saiba o científico, técnico, ela já sabia que fornos de microondas não foram bons como os alimentos com base no sabor, quando eram cozidos nos mesmos. Ela não gostou da maneira que a textura dos alimentos tratados com microondas mudou tanto.

As microondas são perigosas para o leite do bebê

Um número de advertências foram tornados públicos, mas têm sido pouco notado. Por exemplo, as famílias jovens, o Minnesota Serviço de Extensão da Universidade de Minnesota, publicou o seguinte em 1989:

“Embora a comida de microondas de calor rapidamente, eles não são recomendados para esquentar mamadeiras de um bebê. A mamadeira pode parecer fria ao toque, mas o interior líquido pode tornar-se extremamente quente e pode queimar a boca do bebê e da garganta.

Além disso, o acúmulo de vapor em um recipiente fechado, como uma mamadeira, poderia fazê-lo explodir. O aquecimento da mamadeira em microondas pode provocar leves alterações no leite. Nas fórmulas infantis, pode haver uma perda de algumas vitaminas.

No leite materno, algumas propriedades protetoras podem ser destruídas. O aquecimento de uma garrafa, segurando-o em água corrente, ou definindo-o em uma bacia de água morna, em seguida, testá-lo em seu pulso antes de alimentar pode levar mais alguns minutos, mas é muito mais seguro. ”

Dr. Lita Lee do Hawaii relata :
“Fórmulas de bebê com microondas converteram alguns trans-aminoácidos sintéticos em seus cis-isômeros. Isômeros sintéticos, quer cis-aminoácidos ou ácidos graxos trans, não são biologicamente ativos.

Além disso, um dos aminoácidos, L-prolina, foi convertida em d-isómero, que é conhecido por ser neurotóxica (veneno para o sistema nervoso) e nefrotóxico (veneno para os rins). É ruim o suficiente para que muitos bebês não amamentei, mas agora elas são dadas leite falsificado (fórmula infantil) ainda mais tóxicos através de microondas. ”

“Sangue aquecido no microondas mata paciente”

Em 1991, houve um processo judicial em Oklahoma relativo ao uso hospitalar de um forno microondas para aquecer o sangue usado em transfusões. O caso envolveu um paciente de cirurgia nos quadris, Norma Levitt, que morreu de uma transfusão de sangue simples.

Parece que a enfermeira tinha aquecido o sangue num forno de microondas. Esta tragédia deixa muito claro que há muito mais para o aquecimento “com microondas que fomos levados a acreditar. Sangue para transfusões é habitualmente aquecida, mas não em fornos de microondas. No caso da Sra. Levitt, o microondas alterou o sangue e ele a matou.

É muito óbvio que esta forma de radiação de microondas “aquecimento” faz alguma coisa para as substâncias que aquece. É também muito evidente que as pessoas que transformam alimentos em um forno de microondas também estão ingerindo estas incógnitas “.

Porque o corpo é de natureza eletroquímica, qualquer força que perturbe ou alterações eventos eletroquímica humana irá afetar a fisiologia do corpo. Isto é ainda descrito Robert O. Becker ‘s livro, The Body Electric, e no livro de Ellen Sugarman, Cuidado, a eletricidade em torno de você pode ser perigosa para sua saúde.

A evidência científica e fatos

Em Estudo Comparativo de alimentos preparados e Convencionalmente no forno de microondas, publicado por Raum & Zelt em 1992, em 3 (2): 43, afirma

“A hipótese básica de estados medicina natural que a introdução no corpo humano de moléculas e energias, a qual não está acostumado, é muito mais probabilidade de causar danos do que benefícios.

Microwaved alimento contém tanto moléculas e energias não presentes em alimentos cozidos da mesma forma os seres humanos têm sido cozinhar alimentos desde a descoberta do fogo. Microondas a energia do sol e outras estrelas é baseado em corrente contínua.

As microondas produzidas artificialmente, incluindo aquela dos fornos, são produzidas pela corrente alternada e força um bilhão ou mais inversões de polaridade por segundo em cada molécula de alimento que bater.

Produção de moléculas anormais é inevitável. Aminoácidos de ocorrência natural têm sido observadas de sofrer mudanças isómeros (mudanças na forma morfológica) bem como a transformação na forma tóxica sob o impacto das microondas produzidas nos fornos.

Um estudo a curto prazo, encontraram mudanças significativas e perturbador no sangue dos indivíduos que consomem microwaved leite e vegetais. Oito voluntários comeram várias combinações dos mesmos alimentos cozidos de diferentes maneiras.

Todos os alimentos que foram processados em fornos a microondas provocaram mudanças no sangue dos voluntários. Os níveis de hemoglobina diminuiu e em todos os níveis de glóbulos brancos e os níveis de colesterol aumentado. Linfócitos diminuídos.

Luminescentes (emissor de luz) as bactérias foram empregados para detectar mudanças energéticas no sangue. Aumentos significativos foram encontrados na luminescência dessas bactérias quando expostas ao soro sangüíneo obtido após o consumo de alimentos com microondas. ”

O estudo suíço clínica

Dr. Hans Ulrich Hertel, que hoje é aposentado, trabalhou como cientista em alimentação por muitos anos com uma das maiores empresas de alimentos da Suíça que fazem negócios em escala global. Alguns anos atrás, ele foi demitido de seu emprego por questionar certos processos de preparação artificial dos alimentos.

Em 1991, ele e um professor da Universidade de Lausanne publicaram uma pesquisa afirmando que alimentos preparados em fornos de microondas pode representar um maior risco para a saúde que alimentos preparados pelos métodos convencionais.

Um artigo também apareceu na edição 19 da revista Franz Weber na qual foi declarado que o consumo de alimentos cozidos em microondas teria efeitos cancerígenos no sangue. O papel da própria investigação seguiu o artigo. Na capa da revista havia um retrato do Grim Reaper holding um forno de microondas em uma de suas mãos.

O Dr. Hertel foi o primeiro cientista a conceber e realizar um estudo clínico de qualidade sobre os efeitos microondas nutrientes têm sobre o sangue e fisiologia do corpo humano.

Seu pequeno mas bem controlado estudo mostrou a força degenerativa produzidos em fornos de microondas e os alimentos processados nos mesmos. A conclusão científica mostrou que cozinhar no microondas altera os nutrientes nos alimentos e, as mudanças ocorreram no sangue dos participantes que poderia causar deterioração no sistema humano.

Estudo científico de Hertel foi feito junto com o Dr. Bernard H. Blanc do Instituto Federal Suíço de Tecnologia e pelo Instituto Universitário de Bioquímica.

Em intervalos de dois a cinco dias, os voluntários do estudo receberam uma das variantes de alimentos a seguir em um estômago vazio: (1) O leite cru; (2) o mesmo leite convencionalmente cozidos; (3) leite pasteurizado; (4) o mesmo leite cru cozido em forno de microondas; (5) verduras cruas de produção biológica; (6) os mesmos vegetais cozidos convencionalmente; (7) os mesmos vegetais congelados e descongelados em um forno de microondas; e (8) as mesmas verduras cozidas no forno de microondas.

Uma vez os voluntários foram isolados, foram tomadas amostras de sangue de cada voluntário imediatamente antes de comer. Em seguida, amostras de sangue foram colhidas em intervalos definidos após a ingestão do leite acima ou preparações de produtos hortícolas.

Mudanças significativas foram descobertas nas amostras de sangue dos intervalos dos alimentos cozidos em forno de microondas. Estas alterações incluíram uma redução em todos os valores de hemoglobina e colesterol, especialmente a proporção de HDL (bom colesterol) e LDL (mau colesterol) valores.

Linfócitos (células brancas do sangue) apresentaram um decréscimo de mais distintos curto após a ingestão de alimentos tratados com microondas que após a ingestão de todas as outras variantes. Cada um destes indicadores apontaram para degeneração.

Além disso, houve uma associação altamente significativa entre a quantidade de energia de microondas nos testes dos alimentos ea força luminosa da bactéria luminescente exposta ao soro sangüíneo das pessoas testadas que comeram aqueles alimentos.

Isto conduziu o Dr. Hertel à conclusão que tal técnica de energias derivadas pode, de fato, ser repassada ao homem por indução através da ingestão de alimentos cozidos com microondas.

Segundo o Dr. Hertel,

“A leucocitose, a qual não pode ser explicada por desvios diários, é levado muito a sério pelos hematologistas. Leucócitos são frequentemente sinais de efeitos patogênicos no sistema vivo, tais como envenenamento e danos celulares.

O aumento dos leucócitos com os alimentos com microondas eram mais pronunciados que com todas as outras variantes. Parece que estes aumentos marcantes foram causados inteiramente pela ingestão de substâncias tratadas com microondas.

Este processo é baseado em princípios físicos e já foi confirmado na literatura. A aparente energia adicional exibida pela bactéria luminescente foi meramente uma confirmação extra.

Existe a literatura científica extensiva concernente aos perigosos efeitos da radiação de microondas direto sobre os sistemas vivos. É surpreendente, portanto, de realizar um pequeno esforço foi feito para substituir esta técnica prejudicial das microondas com uma tecnologia mais de acordo com a natureza.

Tecnicamente, as microondas são produzidos com base no princípio da corrente alternada. Átomos, moléculas, e células golpeados por esta dura radiação electromagnética são forçados a reversão de polaridade 1-100 bilhões de vezes por segundo.

Não há átomos, moléculas ou células de qualquer sistema orgânico capaz de resistir a uma força tão violenta e destrutiva durante nenhum período de tempo, nem mesmo no intervalo de baixa energia dos miliwatts.

De todas as substâncias naturais – que são polares – o oxigênio das moléculas de água reagem mais sensivelmente. Isto é como o calor do cozimento com microondas é gerado – a violência desta fricção nas moléculas de água.

A estrutura das moléculas é despedaçada, as moléculas são deformadas violentamente, chamada isomerismo estrutural, e assim tornar-se prejudicada em qualidade. Isto é contrário ao aquecimento convencional dos alimentos onde o calor é transferido convencionalmente de fora para dentro.

O cozimento por microondas começa dentro das células e moléculas onde a água está presente e onde a energia é transformada em calor friccional.

Além dos efeitos violentos do calor friccional, chamado efeitos térmicos, existem também os efeitos atérmicos que quase nunca são levados em conta. Estes efeitos atérmicos não são actualmente mensuráveis, mas eles podem também deformar a estrutura das moléculas e têm conseqüências qualitativas.

Por exemplo o enfraquecimento das membranas celulares pelas microondas é utilizado no domínio da tecnologia de alteração genética. Por causa da força envolvida, as células são realmente quebradas, neutralizando assim os potenciais elétricos, a própria vida das células, entre o lado exterior e interior das membranas celulares.

As células atingidas tornam-se presa fácil para o vírus, fungos e outros microorganismos. Os mecanismos naturais de reparo são suprimidos e as células são forçadas a se adaptar a um estado de emergência de energia – elas trocam de aeróbica para uma respiração anaeróbica. Em vez de água e dióxido de carbono, a célula de venenos de peróxido de hidrogênio e monóxido de carbono são produzidos. ”

As mesmas deformações violentas que ocorrem em nossos corpos, quando somos expostos diretamente aos radares ou microondas, também ocorre nas moléculas dos alimentos cozidos em forno de microondas.

Esta radiação provoca a destruição ea deformação das moléculas dos alimentos. Usando microondas também se criam novos compostos chamados “compostos radiolíticos, que são desconhecidas fusões não encontradas na natureza. Compostos radioliticos são criados pela decomposição molecular – decadência – como um resultado direto da radiação.

Fabricantes de fornos microondas insistem que os alimentos com microondas e irradiados não tem nenhum aumento significativo dos compostos radiolíticos do que assado, cozido ou outros convencionalmente alimentos cozidos.

A evidência científica clínico aqui apresentado mostrou que este é simplesmente uma mentira. Nos Estados Unidos, nem as universidades nem o governo federal têm realizado todos os testes relativos aos efeitos em nossos corpos de comer alimentos cozidos com microondas. Não é isso um pouco estranho?

Eles estão mais preocupados com os estudos sobre o que acontece se a porta a um forno de microondas não fecha corretamente. Mais uma vez, o senso comum diz-nos que a sua atenção deve estar centrada no que acontece ao alimento cozido dentro de um forno de microondas.

Como as pessoas ingerem este alimento alterado, não deveria haver preocupação com a forma como as mesmas moléculas deterioradas afetará nossa estrutura própria célula humana biológica?

Ação da indústria para esconder a verdade

Tão logo Médicos Hertel e Blanc publicaram seus resultados, as autoridades reagiram. Uma poderosa organização comercial, a Associação Suíça de Concessionárias de Electro-aparatos para Residências e Indústrias, também conhecido como FEA, atacaram rapidamente em 1992.

Eles forçaram o presidente do Tribunal de Seftigen, cantão de Berna, a emitir uma ordem de silêncio “contra drs. Hertel e Blanc. Em março de 1993, o Dr. Hertel foi condenado por “interferir com o comércio” e proibido de publicar seus resultados. Entretanto, o Dr. Hertel manteve sua opinião e combateu esta decisão ao longo dos anos.

Não muito tempo atrás, esta decisão foi invertida num julgamento entregue em Estrasburgo, na Áustria, em 25 de agosto de 1998. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos considerou que tinha havido uma violação dos direitos de Hertel, na decisão de 1993.

O Tribunal Europeu de Direitos Humanos também determinou que a ordem de amordaçar “emitida pelo tribunal suíço, em 1992, contra o Dr. Hertel, proibindo-o de declarar que os fornos de microondas são perigosas para a saúde humana, era contrária ao direito à liberdade de expressão. Além disso, a Suíça foi condenada a pagar uma indemnização Dr. Hertel.

Agentes cancerígenos nos alimentos microondas

No livro do Dr. Lita Lee, Efeitos de saúde da radiação de microondas – Microondas, e em Março e Setembro de 1991 questões de Earthletter, ela declara que todo forno microondas vazamentos de radiação electro-magnética, nocivo para os alimentos e transforma as substancias nele preparadas em perigosos órgãos de produtos tóxicos e cancerígenos.

Pesquisas suplementares resumidas neste artigo revela que os fornos de microondas são muito mais prejudiciais do que previamente imaginado.

O seguinte é um sumário das investigações Russas publicadas pela Atlantis Raising Centro Educacional em Portland, Oregon. Carcinógenos foram formados em praticamente todos os alimentos testados.

Nenhum alimento testado foi exposto às microondas do que o necessário para atingir o objectivo, ou seja, cozinhar, descongelar ou aquecer para assegurar uma ingestão sanitária. Aqui está um resumo de alguns dos resultados:

•Microwaving carnes preparadas o suficiente para segurar a ingestão, causou a formação de D-nitrosodienthanolaminas, um agente cancerígeno conhecido.
Microwaving grãos de cereais e leite converteram alguns de seus aminoácidos em carcinógenos.
Descongelamento frutas congeladas converteu o seu glicosídeo e galactoside contendo frações em substâncias cancerígenas.
Uma exposição extremamente curta de crus, cozidos ou legumes congelados convertido alcalóides sua fábrica em carcinógenos.
Radicais livres carcinogênicos foram formados em plantas expostas às microondas, especialmente raizes vegetais.
Diminuição do valor nutricional
Pesquisadores Russos também relataram uma acentuada aceleração da degradação estrutural levando a um valor alimentar diminuiu de 60 para 90% em todos os alimentos testados. Entre as mudanças observadas foram:
Diminuição da bio-disponibilidade das vitaminas do complexo B, vitamina C, vitamina E, minerais essenciais e lipotrópicos fatores em todos os alimentos testados.
Várias espécies de danos para muitas substâncias das plantas, tais como alcalóides, glicosídeos, galactoses e nitrilosides.
A degradação do nucleo-proteínas nas carnes.

Microondas doença é descoberta

Os russos pesquisaram em milhares de trabalhadores que foram expostos às microondas durante o desenvolvimento do radar em 1950. Sua pesquisa mostrou problemas de saúde tão grave que os russos fixaram um estreito limite de 10 microwatts de exposição para trabalhadores e um microwatt para os civis.

Em Robert O. Becker ‘s livro, The Body Electric, ele descreveu a pesquisa Russa sobre os efeitos na saúde da radiação de microondas, que eles chamaram de “doença das microondas”. Na página 314, afirma Becker:

“É [doença das microondas] os primeiros sinais são baixa pressão arterial e pulso lento. Quanto mais tarde e as manifestações mais comuns são: excitação crônica do sistema nervoso simpático [síndrome do estresse] e pressão arterial elevada.

Esta fase também inclui frequentemente cefaleias, tonturas, dor nos olhos, insônia, irritabilidade, ansiedade, dor de estômago, tensão nervosa, dificuldade de concentração, perda de cabelo, além de um aumento da incidência de apendicite, cataratas, problemas reprodutivos e câncer.

Os sintomas crônicos são eventualmente sucedidos pelas crises de exaustão das supra-renais e doença isquêmica do coração [a obstrução das artérias coronárias e ataques cardíacos] “.

Segundo o Dr. Lee, mudanças são verificadas nos componentes químicos do sangue e as taxas de certas doenças entre consumidores de alimentos tratados com microondas. Os sintomas acima podem ser facilmente causados pelas observações mostradas abaixo. O seguinte é uma amostra destas mudanças:

Desordens linfáticas foram observadas, levando à diminuição da capacidade de prevenir certos tipos de cânceres.

Um aumento da taxa de formação de células de câncer foi observado no sangue.
Aumentos das taxas de estômago e câncer intestinal.
Elevados índices de desordens digestivas e um gradual colapso dos sistemas de eliminação foram observados.

Investigação conclusões Microondas
A seguir estão as mais significantes pesquisas Alemãs e Russas sobre os efeitos biológicos das microondas:

A pesquisa inicial conduzida pelos alemães durante a campanha militar de Barbarossa, para a Humbolt-Universität zu Berlin (1942-1943), e,

De 1957 e até ao presente [até o fim da guerra fria], as operações de pesquisas Russas foram conduzidas por: Instituto de Tecnologia de rádio em Kinsk, da Bielo-Região Autónoma e, no Instituto de rádio tecnologia em Rajasthan na Rossiskaja Região Autónoma, ambos na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.

Na maioria dos casos, os alimentos usados para a análise da pesquisa foram expostos à propagação de microondas num potencial energético de 100 kilowatts/cm3/seg, até o ponto considerado aceitável para normal, sanitária ingestão. Os efeitos verificados pelos pesquisadores Russos e Alemães são apresentados em três categorias:

•Categoria I, efeitos cancerígenos

•Categoria II, Nutritive Destruição de Alimentos

•Categoria III Efeitos biológicos da exposição

CATEGORIA I

Efeitos cancerígenos

[Os dois primeiros pontos da categoria I não são cópia legível do nosso relatório. O restante do relatório é integro.]

3. Criação de um efeito ligado com a radioactividade na atmosfera, causando assim um aumento significativo na quantidade de saturação das partículas alfa e beta nos alimentos;

4. Criação de agentes causadores do câncer nos componentes das proteínas hidrolisadas, no leite e grãos de cereais [* estas são proteínas naturais que são divididas em fragmentos artificiais pela adição de água];

5. Alteração das elementares substancias alimentares provocando desordens no sistema digestivo pelo instável catabolismo dos alimentos expostos às microondas [o colapso do processo metabólico];

6. Devido a alterações químicas dentro das substancias dos alimentos, disfunções foram observadas dentro do sistema linfático [vasos absorventes], causando a degeneração do potencial de imunização do corpo para proteger contra certas formas de neoplasias [crescimentos anormais do tecido];

7. A ingestão de alimentos tratados com microondas causou uma maior porcentagem de células cancerígenas dentro do soro sangüíneo [citomas – células tumorais tais como sarcoma];

8. Emissões de microondas causaram alterações na repartição [metabólico] comportamento da glucoside [dextrose hidrolizada] e galactoside [álcool oxidado] elementos nas frutas congeladas quando foram descongeladas desta maneira;

9. A emissão de microondas causou alterações do colapso [metabólico] comportamento dos alcalóides vegetais [elementos base do nitrogênio orgânico], quando crus, cozidos ou legumes congelados foram expostos por períodos até mesmo extremamente curto;

10. Causar câncer radicais livres [moléculas incompletas altamente reativas] foram formadas dentro de alguns resíduos minerais de formações moleculares em substâncias vegetais e, em particular, raízes vegetais cruas; e,

11. Em um percentual estatisticamente elevado de pessoas, alimentos microondas causou estômago e intestino tumores cancerosos, bem como uma degeneração generalizada dos tecidos celulares periféricos, com uma quebra gradual da função dos sistemas digestivo e excretive.

CATEGORIA II

DIMINUIÇÃO DO VALOR DOS ALIMENTOS

A exposição às microondas provocou significantes diminuições no valor nutritivo de todos os alimentos pesquisados. A seguir estão as descobertas mais importantes:

1. A diminuição da biodisponibilidade [capacidade do corpo para utilizar os nutrimentos] de vitaminas do complexo B, vitamina C, vitamina E, minerais essenciais e lipotrópicos em todos os alimentos;

2. Uma perda de 60-90% do teor de energia vital de campo de todos os alimentos testados;

3. Uma redução no comportamento metabólico e na capacidade de integração de processos de alcalóides [nitrogênio orgânico elementos base], glicosídeos, galactoses e nitrilosidos;

4. A destruição do valor nutritivo das núcleo de carnes;

5. Uma acentuada aceleração da desintegração estrutural em todos os alimentos.

CATEGORIA III

EFEITOS BIOLÓGICOS DA EXPOSIÇÃO

A exposição às emissões de microondas também teve um efeito negativo imprevisível no total bem-estar biológico humano.

Isto não foi descoberto até que os Russos experimentaram com equipamentos altamente sofisticados e descobriram que um ser humano não precisa ingerir a substância material das substâncias alimentares com microondas: aquela regular exposição aos campos energéticos era suficiente para causar efeitos tão adversos que o uso de qualquer aparelho de microondas foi proibido em 1976 pela lei do estado soviético.

Os seguintes efeitos são enumerados:

1. A desagregação da vida “humana” campo energético “naqueles que foram expostos a microondas enquanto funcionavam, com efeitos colaterais ao campo de energia humana de duração cada vez mais;

2. Uma degeneração dos paralelos da voltagem celular durante o processo de utilização do aparelho, especialmente no sangue e áreas linfáticas;

3. Uma degeneração ea desestabilização dos potenciais externos de energia activada da utilização dos alimentos dentro dos processos do metabolismo humano;

4. Uma degeneração ea desestabilização do potencial da membrana celular enquanto transfere catabólicos [degradação metabólica] processos no soro do sangue do processo digestivo;

5. Degeneração e colapso dos impulsos elétricos nervosos dentro dos potenciais de junção do cérebro [a parte frontal do cérebro onde o pensamento e funções superiores residir];

6. Degeneração e colapso do circuito elétrico nervoso e perda dos campos de energia simétrica nos neuroplexuses [centros nervosos], tanto na parte dianteira e traseira do sistema nervoso autônomo;

7. Perda de equilíbrio e rotação da força bioelétrica dentro do sistema ativador reticular ascendente [o sistema que controla a função da consciência];

8. A longo prazo perda acumulada de energia vital nos seres humanos, animais e plantas que foram localizados em um raio de 500 metros do equipamento operacional;

9. Duradouro efeitos residuais de “depósitos” magnéticos foram localizados por todo o sistema nervoso e sistema linfático;

10. Uma desestabilização e interrupção na produção de hormônios e manutenção do equilíbrio hormonal em machos e fêmeas;

11. Com níveis mais altos de distúrbios nas ondas cerebrais alpha, theta e padrões do sinal de onda delta de pessoas expostas aos campos de emissão de microondas, e;

12. Por causa desta perturbação ondas cerebrais, os efeitos psicológicos negativos foram verificados incluindo a perda de memória, perda da capacidade de concentração e abaixamento do limiar emocional, desaceleração do processo intelectivo, e episódios de sono INTERVENÇÕES num percentual estatisticamente elevado em indivíduos sujeitos à exposição contínua aos efeitos dos campos de emissão dos aparelhos de microondas, tanto em aparelhos para cozinhar ou em estações de transmissão.

Investigação Forense Conclusões

Das vinte e oito indicações enumeradas precedentemente, o uso de aparelho de microondas é definitivamente não é aconselhável e, com a decisão do governo soviético em 1976, a presente opinião científica em muitos países sobre a utilização de tais aparelhos é claramente em evidência.

Devido ao problema do residual magnético e união dentro do sistema biológico do corpo (categoria III: 9), que em última instância pode afetar o sistema neurológico, principalmente o cérebro e neuroplexuses (centro do nervo), a despolarização longo dos circuitos neuroelétricos pode resultado.

Porque estes efeitos podem causar danos praticamente irreversíveis para a integridade neuroelétrica dos vários componentes do sistema nervoso (IR Luria, Novosibirsk 1975a), ingestão de alimentos tratados com microondas é claramente contra-indicado em todos os aspectos.

Seus magnéticos efeitos residuais podem transformar os componentes do receptor pyschoneural do cérebro mais suscetível a influencia psicológica pelas artificialmente induzidas nas microondas dos campos de radiofreqüência das estações de transmissão e redes de televisão.

A teórica possibilidade da influência psico-telemétrica (a capacidade de influenciar o comportamento humano por sinais de rádio transmitidos em freqüências controladas) foi sugerido pelas investigações neuropsicológicas soviéticas em Uralyera e Novosibirsk (Luria e Perov, 1974a, 1975c, 1976a), que pode causar subliminar involuntário cumprimento campo de energia psicológico para aparelho operativo de microondas.

FORENSE pesquisa documental
Preparado por: William P. Kopp
A. R. E. C. Pesquisa Operacional
TO61-7R10/10-77F05
RELEASE PRIORITY: Classe I ROO1a

” RESUMINDO..PORQUE VOCE VAI JOGAR FORA SEU FORNO DE MICROONDAS ”

A partir das conclusões da Suíça, russo e alemão científica de estudos clínicos, não podemos mais ignorar o forno de microondas em nossas cozinhas. Baseado nesta pesquisa, podemos concluir este artigo com o seguinte:

1). Continuar comendo alimentos processados em fornos a microondas causa a longo prazo – permanente – danos cerebrais pelo curto-circuito dos impulsos elétricos no cérebro [de-despolarização ou desmagnetização do tecido cerebral].

2). O corpo humano não pode metabolizar [quebrar] o desconhecido subprodutos criados nos alimentos feitos com microondas.

3). Produção de hormônios masculinos e femininos é desligado e / ou altera pela contínua ingestão de alimentos cozidos com microondas.

4). Os efeitos dos alimentos tratados com microondas é residual [a longo prazo, permanente] dentro do corpo humano.

5). Minerais, vitaminas e nutrientes de todo alimento feito com microondas são reduzidos ou alterados de modo que o corpo humano fica pouco ou nenhum benefício, ou o corpo humano absorve componentes alterados que não pode ser quebrado.

6). Os minerais presentes nas verduras são alterados em cancerosos radicais livres quando cozidos em fornos de microondas.

7). Alimentos feitos com microondas causam estomacal e intestinal tumores cancerosos [tumores]. Isto pode explicar o rápido aumento da taxa de cancro do cólon nos Estados Unidos.

8). A ingestão prolongada de alimentos tratados com microondas causa o aumento das células cancerígenas no sangue humano.

9). Contínua ingestão de alimentos tratados com microondas causa uma deficiência do sistema imunitário através das glândulas linfáticas e alterações do soro sangüíneo.

10). Comer alimentos com microondas causa perda de memória, concentração, instabilidade emocional e diminuição da inteligência.

O uso de transmissões artificiais de microondas para o controle psicológico subliminal, também conhecido como “lavagem cerebral”, também foi comprovada. Estamos tentando obter cópias dos documentos de pesquisa de 1970 do russo e os resultados escritos pelos Drs.. Luria e Perov especificando seus experimentos clínicos nesta área.

O texto foi adaptado da lingua Portuguesa (Portugal) e nem todas as concordancias corrigidas, mantendo-se mesmo assim a coerência e o contexto do artigo

Por Miguel Galli, http://terapeutaquantico.blogspot.com

Comentários
  1. cristina diz:

    gostaria de saber se existe algum estudo que comprove que os utensilios da Tupperware para irem ao micro ondas, protegem os alimentos das “ondas” que este produz nos alimentos?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s