A origem do tapete vermelho

Posted: 2 de Julho de 2011 in A origem das coisas

A questão não é exatamente a do tapete, mas de sua cor. Na Antiguidade (cerca de 1000 a.C.), a cor púrpura, avermelhada, só era obtida em uma concha chamada porphura, que liberava esse pigmento quando atacada. Assim, mobilizavam-se centenas de empregados só para abrir as conchas e retirar a bolsa com tinta, o que a tornava extremamente cara. Por isso, só os nobres tinham condições de usá-las para tingir tecidos. O tapete vermelho era ainda mais caro porque, além do pigmento ser muito valioso, a feitura também era trabalhosa. Por indicar tanta riqueza, era a peça ornamental mais importante de um palácio. O príncipe persa Ciro, certa vez, vestiu-se de púrpura da cabeça aos pés e andou sobre um tapete da mesma cor para impressionar suas tropas e chamá-las ao combate, rumo à Grécia. A cor manteve seu status também na civilização romana, pois só os senadores tinham o direito de usá-la. O imperador Nero (aquele que ateou fogo a Roma) mandou vir da Babilônia um tapete vermelho que custou 400 mil talentos, o que, hoje em dia, seriam alguns milhões de dólares.
Ainda outro simbolismo eram quando os reis partiam em peregrinagem a roma, deviam avançar de joelhos (no simbolismo da cruz de cristo) até S.João de Latran e até ao vaticano depois da construção da basilica de S.Pedro no Sec XVI aos pés do papa.
A mesma coisa acontecia quando o povo se dirigia ao rei lembrando que este deveria ser o simbolo de Cristo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s