Vitória sobre o pecado e humanidade de Cristo

Posted: 14 de Julho de 2014 in Profecias, Religião
Tags: , ,

A tentação de Jesus

Jesus venceu como Humano

Cristo viveu uma vida de completa humanidade para que pudesse permanecer como representante da família humana. Foi tentado em todos os aspetos, tal como nós somos, para que pudesse socorrer aqueles que são tentados. Como principe da vida, em carne humana, enfrentou o príncipe das trevas, e passando pelo terreno onde Adão caiu, suportou todos os testes que Adão não conseguiu suportar. Ele enfrentou e venceu cada tentação que poderia recair sobre a humanidade caída.

Se não fosse completamente humano, Cristo não poderia ser nosso substituto. Não poderia ter desenvolvido na sua humanidade, aquela perfeição de caráter que é privilégio de todos alcançar. Ele era a luz e a vida do mundo. Veio a esta terra para trabalhar em favor dos homens, para que deixassem de estar sobre o controlo dos agentes satânicos. Mas, enquanto possuia a natureza humana, dependia do Omnipotente para a sua vida. Na sua humanidade apropriou-se da divindade de DEUS; e cada membro da família humana tem o privilégio de fazer o mesmo. Cristo não fez nada que a natureza humana não possa fazer se for participante da natureza divina- sign of times, 17junho 1897

Satanás apontara o pecado de adão como prova de que a lei de Deus era injusta e impossivel de ser obedecida. Cristodevia redimir, na nossa humanidade a falta de Adão. Mas quando este fora vencido pelo tentador não tinha sobre si nenhum dos efeitos do pecado. Encontrava se na pujança da perfeita varonilidade, possuindo o vigor máximo da mente e do corpo: Achava se circuncidado pelas glórias do Éden e em comunicação diária com seres celestiais. Já não se passou o mesmo quanto a Jesus quando foi para o deserto para lutar contra Satanás. Durante quatro mil anos a raça estivera a diminuir em robustez física vigor mental e valor moral: e Cristo tomou sobre Si as fraquezas da humanidade degenerada. Unicamente assim podia salvar o homem das profundezas da sua degradação – DTN. P.87 (edP.servir)

È verdade que a dada altura, Cristo disse de si mesmo. … se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim.” João 14:30 satanás encontra no coração do Homem algum ponto de apoio; algum desejo pecaminoso que é acariciado, através dos quais as suas tentações exercem o seu poder. Porém não conseguiu encontrar nada no filho do Deus que lhe permitisse obter vitória. Jesus não consentiu o pecado. Nem sequer através de um pensamento poderia ficar sob o poder das tentações de satanás. No entanto, sobre Cristo está escrito que ele foi tentado em todos os pontos tal como nós somos. Muitos defendem que por causa da natureza de Cristo, era impossivel as tentações de Satanás enfraquecerem-no ou vencerem-no.
Então Cristo não poderia ser colocado na posição de Adão, percorrer o terreno onde Adão tropeçou e caiu; não poderia ter obtido a vitória que Adão não conseguiu obter. Se não fosse colocado numa posição tão dificil como aquela em que Adão se encontrou, não poderia redimir o erro de Adão. Se o homem tem, de qualquer forma, um conflito mais difícil de suportar que Cristo teve, então Cristo não é capaz de o socorrer quando for tentado. Cristo assumiu a humanidade com todas as suas responsabilidades. Ele assumiu a natureza do homem com a possibilidade de ceder à tentação e confiou no poder divino para o guardar – General conference bulletin, 25 fev.1895
O filho de Deus viveu uma vida perfeita de obediência neste mundo, Precisamos de manter sempre em vista a autenticidade da humanidade de Cristo Jesus. Quando Cristo se tornou no nosso substituto e penhor, foi enquanto humano. Ele veio como homem e prestou a obediência da natureza humana ao único Deus verdadeiro. Ele não veio para nos mostrar o que Deus poderia fazer mas o que Deus realmente fez, e o que o homem (quando é) participante da natureza divina, pode fazer. Foi a natureza humana de Cristo que suportou as tentações no deserto, não a sua natureza divina, Na sua natureza humana suportou a oposição dos pecadores contra si próprio. Ele viveu uma vida humana perfeita. Jesus é tudo para nós, ele diz-nos “…sem mim nada podeis fazer” João 15:5 Manuscript Releases, Vol 12, p344

A natureza de Cristo era uma combinação do divino e do humano, tendo todos os atributos de DEUS, Ele também representava as excelências da humanidade e mostrava que todos os que crêem em Cristo como salvador pessoal irão aperfeicoar um caráter à semelhança de Cristo e estarão qualificados a tornarem se coobreiros juntamente com Deus. Por preceito e exemplo, Ele eleva aqueles que estão corrompidos, pois através das virtudes de Jesus Cristo, tornou se filho de Deus. A sua vida é como a vida de Cristo e não falhará nem desanimará, porque é vitalizado pelo Espirito e pelo poder de Jesus Cristo. Cristo é o filho de Deus por obra, em verdade e em amor e é o representante do pai, assim como representante da raça humana . O seu braço trouxe salvação. Ele assumiu a humanidade, foi osso do nosso osso e carne da nossa carne e esteve sujeito a todas as tentações que atacariam o homem.

Aqui Jesus passou pelo deserto da tentação e a provação que suportou foi cem vezes mais difícil do que a de Adão e Eva sofreram no Jardim do Éden. E ele suportara a tentação?

Em Cristo estavam unidos o humano e o divino. A sua missão era reconcliar Deus com o homem, e o homem com Deus. A sua função era unir o finito ao infinito. Esta era a única forma mediante a qual o homem caído poderia ser exaltado pelos méritos do sangue de Cristo , a fim de ser participante da natureza divina. Assumira a natureza humana capacitou Cristo a compreender a natureza das provações do homem e todas as tentações que o cercam. – Panfleto redemption or the first Christ With His Life and Ministry, p.33
“…
Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós,…” João 17:21

por isso mesmo convinha que em todas as coisas, se tornasse semelhante aos irmãs, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdotenas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo” Heb 2:17

Em Romanos 8:3 e 4 Paulo declara corretamente que Jesus Cristo Possuía a mesma carne que nós, carne de pecado, carne na qual pecamos, na qual entretanto, ele não pecou; mas carregou nossos pecados nessa carne; por haver nascido na mesma família humana, Jesus é meu irmão na carne; “por cuja causa não se envergonha de lhes chamar irmãos” (Heb 2:11) Não era pecador, mas fez com que Deus o tratasse como um pecado, a fim de que nós, que eramos pecadores, pudessesmos ser tratados como se fossemos justos (isaias 53:4 e 5)

Mas vindo e vivendo na carne, na pecaminosa carne, sem todavia pecar. Em Cristo Ele demonstrou que é possível, por sua graça e poder, resistir à tentação, vencer o pecado e viver uma vida sem pecado na pecaminosa carne.

Pelo poder de quem viveu Cristo a vida perfeita?

eu nada posso fazer de mim mesmo” S João 5:3 “ as palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai que permanece em Mim, faz as suas obras S.João 14:10
Em sua humanidade, Cristo dependia tanto do poder divino para realizar as obras de Deus, como qualquer outro homem. Não empregou para viver uma vida santa nenhum outro meio que não esteja ao alcance de qualquer criatura humana.

Por seu intermédio todos podem possuir em si a presença de Deus de modo que neles opere “ tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” Filip 2:13, 1 S.João 4:15

EST.Bib CPB pag 116,117

Comentários
  1. Anónimo diz:

    excelente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s